Nem as maiores e mais cabulosas foram capazes de acabar com esse cara; precisou dum pernilongo malino, cheio de dengue, pra dar um febrão no cara, depois de ter sido infectado em Portugal, na oitava etapa do Dream Tour 2010.
Foi pra Porto Rico, passou mal, não competiu e pediu pra ser levado para seu doutor particular em Kauai. A caminho do Havaí, numa escala em Dallas, foi piorando e preferiu ir descansar num hotel, pensando, de repente, que poderia ser só uma indisposição da viagem e que em breve estaria em casa e foi seu fim. Achado pelo pessoal da limpeza do hotel, sem vida, nesta terça-feira, Dia dos Finados aqui, aos 32 anos.

Recentemente, li a entrevista do Bruce Irons, na Fluir 300, edição aniversário 27 anos, e agora essa? Família Black Trunk ou Black Shorts, como preferirem, mas é zica que num acaba mais! Surfe em paz essas enormes ondulações aí no Paraíso, “bradda”.

A fonte com atualização precisa é o http://thegardenisland.com/sports/recreation/article_7a0dc80e-e6d4-11df-8929-001cc4c03286.html

A Associação de Surf do Moçambique presta singela homenagem a esse gênio do esporte, havaiano, tricampeão mundial de surf  pela Association of Surfing Professionals – ASP e que deixou uma herança muito importante a toda uma geração de surfistas pelo globo.

ALOHA